DETRAN

Não tem outra maneira de dizer isso, eu simplesmente ODEIO esse troço chamado Detran. Odeia também? Então você vai me entender. E se você não sabe porque eu odeio, leia que eu explico.

Bem, quem me conhece deve ter acompanhado minha revolta via Facebook ontem (26/09/2013). Em momentos de revolta quando se está sozinha, nada como desabafar um pouquinho nas redes sociais, né? Confesse que você já fez isso. Enfim, vou contar desde o início o motivo da revolta.

Na terça-feira (24/09/2013) eu fui ao Detran do meu bairro para fazer a vistoria do meu carro. Já me preparei psicologicamente, pois já sabia que ia encarar fila. Dito e feito. Cheguei lá, aquela fila enorme de carros esperando para fazer o mesmo que eu. Pensei “pelo menos estou sentada dentro do carro”. Tentei não me estressar e fiquei ouvindo meus podcasts. Depois de 1h chegou minha vez e começou o procedimento padrão: “abre a mala, por favor”, “abra o capô para eu ver o motor” e etc. Se você tem carro sabe do que estou falando.

Bem, tudo estava indo bem, até que os rapazes que estavam vistoriando meu carro começaram a sentir dificuldade de conferir um tal número no tanque de gás natural do meu carro. Olha daqui, olha dali, pega lanterna, abaixa o banco para olhar por dentro e nada. Depois de várias tentativas, escuto isso:

– Moça, não estamos conseguindo verificar esse número aqui (ele me mostrou no documento o tal número) no seu gás.

– Mas poxa, a vistoria do gás foi feita ontem, tá tudo certinho.

– Precisamos conferir pois agora é exigência do Detran. Volta onde fizeram a vistoria e peça pra virarem o tanque, pois o número está virado pra baixo e não dá pra conferir. O número é esse aqui ó, vou até circular aqui pra você.

– Sério que eu vou ter que voltar aqui?

– Sim, mas aí pode vir direto, não precisa pegar a fila de novo não. Pode voltar em até 5 dias corridos.

Saí de lá muito revoltada. Chegando em casa, meu pai, que foi quem levou meu carro pra vistoriar o gás, também ficou revoltado. Voltou lá pra corrigir essa confusão. Resultado: o tal número que eles precisavam estava bem visível, só que estava escondido pela tinta que eles passaram no tanque. Precisaram passar um ácido para remover a tinta e poder fazer a marcação do número, que não tinha nada a ver com o que eles me mostraram.

Pra quem não sabe, eles conferem o número do gás igual ao do chassi do carro. Esses números ficam escritos em relevo. Eles vem com uma fita, tipo um adesivo branco, colam sobre esse número, riscam com um lápis e colam isso no documento.

Bem, no fim das contas estava todo mundo errado, os caras do gás, que cobriram o tal número e os caras do Detran, pois estavam olhando no lugar errado. Mas enfim, resolvido isso, voltei lá ontem para finalmente concluir essa bagunça. A fila estava maior do que a que eu peguei na terça. Pensei “mas eu não encaro isso nem que me obriguem”. Entrei direto e fui procurar o rapaz que tinha me atendido. Ele lembrou de mim na hora: “conseguiu virar o gás?” e eu expliquei a confusão pra ele. “Pega só uma senha pra mim naquele guichê e volte aqui.” Fiquei feliz, né? Ufa, finalmente ia resolver isso. Peguei a senha e voltei nele.

Ele pegou o documento, anotou o que tinha que anotar e me encaminhou a outro guichê:

– Pronto, agora é só aguardar aqui que vão chamar seu nome.

– Obrigada!!

Eu toda feliz que finalmente tinha dado tudo certo. Mas essa felicidade não durou muito. Passou 10, 20, 30, 50 minutos e nada de me chamarem. Até que vi um rapaz questionando um atendente:

– Poxa, cara, eu tô aqui há quase 3h já…

Pensei “pronto, é hoje que não saio daqui”. E respirei fundo. Depois de 2h esperando minha paciência já tava chegando ao limite e meus pés doendo de ficar em pé esse tempo todo. Teve um momento que comecei a resmungar sozinha igual maluca. Mas o legal de estar nessa situação (se é que pode chamar algo de legal nisso) é que está todo mundo ali igual a você. Então se você começa a reclamar os outros começam a te defender e te dar razão. Um moço começou a discutir com um atendente e todo mundo apoiando: “É isso mesmo!! Ele tá certo! Uma pouca vergonha isso aqui…”

Eu comecei a ficar com fome, o que fez minha irritação aumentar ainda mais. Fome e sono em excesso me deixam irritada e eu já estava prestes a discutir com alguém também. Resolvi ir na lanchonete de lá e comer alguma coisa. Realmente me senti melhor depois de acalmar meu estômago. Nisso já tinha 3h que eu estava esperando. Quando retornei ao guichê chamaram meu nome. Nem acreditei. Pediram uma xerox de um documento, entreguei e 10min depois eu já estava recebendo o documento do carro todo certinho. FINALMENTE!!

Quando peguei aquilo e fui embora não estava acreditando. Que sensação boa! Mas nunca vou esquecer a raiva que passei. Eu já tenho raiva do Detran desde quando fui fazer minha identidade e fiquei de 8h às 17h na fila até concluir todo o processo. Foi aí que esse meu ódio começou e até hoje minha paciência com Detran é praticamente nula.

Juro que queria entender porque tanta demora para resolver uma coisa simples. E a parte mais triste é lembrar que ano que vem estarei lá de novo, ganhando novas rugas…

E você? Já passou por alguma situação desse tipo? Compartilhe suas experiências nos comentários abaixo.

Dentista, viciada em séries, filmes, esmaltes, tecnologia e que só sai de casa acompanhada de seu querido smartphone.

Twitter YouTube 

Comments

comments

Comente

DEIXE SEU COMENTÁRIO: