Resenha: A Vida Secreta de Walter Mitty

Ontem fui ao shopping com meu namorado e nem planejávamos ir ao cinema. Demos umas voltas e só por curiosidade fomos dar uma olhada no que estava passando. E vimos que o filme “A Vida Secreta de Walter Mitty” já estava em cartaz. Bem, resolvemos assistir. Confesso que pelo trailer achei que seria mais uma daquelas comédias pastelonas que o Ben Stiller costuma fazer. Entrei na sala do cinema esperando por isso. E quebrei a cara. Mas de uma forma muito boa.

O filme é sim de comédia, mas não tem nada de pastelão, muito pelo contrário. O filme conta a história de um cara solitário, que leva uma vidinha bem tranquila, rotineira, sem muitas emoções. Inclusive ele não tem nada de interessante nem pra preencher seu perfil em uma rede social. Triste! Devido a isso, a saída dele é sonhar acordado. E ele faz isso com muita frequência. Enquanto está em determinada situação ele se desliga do mundo real e entra em seu universo paralelo, fazendo coisas incríveis que ele gostaria de fazer de verdade. E aí, de repente, acorda e volta para o mundo real, agindo como o pacato rotineiro Walter Mitty.

Sem querer dar spoiler, em determinado momento do filme isso começa a mudar e o Mitty começa a viver mais, ao invés de apenas sonhar acordado enquanto se desliga do mundo. E sabe o que acontece? Ele não precisa mais se desligar tanto quando começa a viver de verdade, e passa a prestar mais atenção ao que acontece à sua volta. Digo isso, pois durante suas “viagens” ele acabava perdendo alguns momentos reais e deixando passar informações importantes enquanto estava “desligado” e só depois ele se dá conta disso. A grande ironia do filme é Mitty trabalhar na revista “Life”, já que ele não estava vivendo plenamente, como era pregado por ela.

Fiquei pensando quantos Walter Mitty existem espalhados por aí. Vivendo a mesma vida, ou pelo menos, vivendo alguma época dela exatamente desse jeito: mergulhado na rotina e sonhando acordado para compensar. Acho que a grande maioria de nós passamos por períodos assim.

Além da história do filme ser fantástica, ele prende sua atenção, pois existe um fato que te deixa curioso durante toda a sessão e só é revelado no final. E posso confessar? Não decepciona.

Não sei se gostei tanto do filme por eu ter esperado algo muito diferente ou se ele é simplesmente incrível mesmo. Bem, me surpreendeu bastante e eu adoro quando um filme faz isso. Saí feliz do cinema. Se você está na dúvida sobre assisti-lo, vá. Vá sem medo.  Você vai rir, vai refletir e vai se emocionar. Provavelmente foi minha última ida ao cinema em 2013 e esse é o filme perfeito para fechar com chave de ouro. Para você refletir na sua vida e quem sabe vive-la mais no ano novo que está chegando. Vai fazer você pensar em todas aquelas coisas que tem vontade de fazer, mas acaba deixando pra depois.

A própria frase no cartaz resume bem o filme: Pare de sonhar, comece a viver. E tudo o que o Walter precisava pra mudar isso, era de uma motivação. Que todos encontrem suas motivações em 2014 e comecem a viver de verdade!

Dentista, viciada em séries, filmes, esmaltes, tecnologia e que só sai de casa acompanhada de seu querido smartphone.

Twitter YouTube 

Comments

comments

Comente

DEIXE SEU COMENTÁRIO: